A Faculdade de Direito 8 de Julho tem por vetor principal a promoção dos princípios do respeito aos direitos humanos, à diversidade e à sustentabilidade socioambiental, de modo que todas estas matizes encontram-se contempladas em seu projeto apresentado.

A Faculdade de Direito 8 de Julho tem um objetivo muito específico: que o seu egresso seja um agente catalisador de mudanças culturais e transformações sociais e econômicas do seu entorno. Para atingir esta meta, a formação do aluno contemplará mecanismos que estimulem um olhar universal, globalizado e ético, valorizando, sobremaneira, o ser humano como indivíduo fundamental na construção desta novel comunidade. Assim, a Faculdade de Direito 8 de Julho empreenderá políticas de combate à homofobia, transfobia, discriminação étnica e racial, discriminação econômica e cultural, incentivando o professor a tratar destes temas em sala de aula, com ampla liberdade, interrelacionando com o papel do Direito como indutor destas políticas antissegregacionistas, criação de seminários e apresentações culturais que cuidem desta temática de maneira lúdica e próxima à linguagem comunicativa do estudante. A Faculdade de Direito 8 de Julho trará para dentro do ambiente acadêmico grupos quilombolas e indígenas integrantes da comunidade sergipana para a troca de experiências e vivências, bem como ativistas de direitos humanos, da comunidade LGBTTIQ e movimentos sociais para garantir a acessibilidade atitudinal da comunidade acadêmica.

Em paralelo, o professor e o corpo técnico-administrativo também se inserem nesta acessibilidade no viés pedagógico. O professor será capacitado para estabelecer processos de interação próxima com o aluno, seja do ponto de vista da linguagem mais acessível, comportamento aberto, solícito e livre dentro e fora da sala de aula, fomento ao debate e à livre expressão de pensamento do discente, respeito às opiniões divergentes e incentivo à dialética e a expressão das contradições inerentes o Direito e demais ciências sociais como forma de construção de um consciência crítica, solidária  coletiva que garanta a inclusão social e econômica pelo Direito.

FORMAS DE INGRESSO

PLANEJAMENTO COM VISÃO TRANSVERSAL​

Os professores serão orientados e capacitados para apresentar um planejamento de todas as aulas a serem ministradas ao longo do curso, desde o início do curso, que o aluno tenha uma visão universalista do Direito, entendendo a ciência como um corpo único porém dotados de segmentos interrelacionados e complementares, o que contribuirá sobremaneira para a solução das demandas jurídicas e sociais que se apresentarão em toda sua vida profissional para que o aluno possa interrelacionar seus ramos entendendo a complementariedade e imbricação deles.

FLEXIBILIDADE DOS COMPONENTES CURRICULARES​

A excelência do curso apresentado passa pela inovação e qualidade, logo, o aluno terá uma base curricular temática comum até o final do 7º período, devendo optar, nos 8º, 9º e 10º períodos, um dos dois vetores de formação no âmbito do Direito Público ou do Direito Privado, mas que continuarão compondo a estrutura curricular obrigatória. Estes dois vetores correspondem a 144 horas optativas, contendo 18 disciplinas para a escolha.

USO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS​

Ambiente virtual, a fim de que sejam oferecidos conteúdos complementares no formato on line, incentivando o professor e o aluno a alimentar esta plataforma com conteúdos jurídicos e interdisciplinares gerando uma construção do conhecimento  inovadora, um câmbio de informações e a imersão da docência e da discência no ambiente acadêmico, dando uma proximidade ímpar entre o conjunto destes atores.

CRITICIDADE E INTERDISCIPLINARIDADE

A metodologia de ensino é inovadora e única na comunidade sergipana, sendo ofertadas aulas expositivas com ênfase na interdisciplinaridade, transversalidade e criticidade do conteúdo jurídico programático a ser apresentado, sendo fomentada a participação do aluno e debates propositivos a cada final de aula. Reitera-se que disciplinas como “Direito e Arte” e “Direito e Linguagem” contribuirão para esta interação.

A matriz curricular contribuirá, sobremaneira, para a formação crítica deste papel de transformador social. as cargas horárias totais das disciplinas que diretamente contribuem para isto demonstram este compromisso da IES. O Direito Constitucional e Ciência Política contribuirão para estabelecer noções de formação dos direitos e garantias fundamentais e organização normativa do estado e sociedade brasileira, tendo 288 horas totais. Direitos Humanos, Filosofia, Ética Profissional e Responsabilidade Social e Jurisdição Constitucional aparecem com 144 horas totais, sendo responsáveis pela formação humanística, ética, dando a visão de inserção social com responsabilidade de seu papel, além da eftivação destes direitos pelos tribunais superiores. Conteúdos de formação complemetar como  “Direito, Bioética e Novas Tecnologias”, “Direito e Linguagem”, Direito e ética e Empreendedorismo Jurídico tem um total de 144 horas, apresentando ao aluno conteúdos inovadores e diferenciados que incentivarão a sua criatividade e o capacitará para as novas dinâmicas da sociedade moderna. O estágio e a prática jurídica foram contemplados com 632 horas totais, demonstrando a preocupação da IES com a imersão total do aluno na experiência real profissional, além de habilitá-lo a aplicar todo o conteúdo teórico aprendido de forma mais incisiva e com maturação e orientação adequada e permanente.

PROJETOS INTEGRADORES
e INTERDISCIPLINARES

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS JURÍDICOS​

Tem como vetor-mestre a construção do saber de maneira participativa e dialética entre os alunos e entre estes e o professor, sempre calcados na em uma visão ética, principiológica e humanista.

CAFÉ JURÍDICO
MENSAL

Uma vez por mês, os professores de cada semestre serão reunidos em horário anterior ao início das aulas para o debate de temas jurídicos atuais, com a participação efetiva do corpo discente na elaboração da temática e da construção dialética do conhecimento e soluções.

MUTIRÕES DA
CIDADANIA

Duas vezes por ano serão realizados mutirões da cidadania, com o desenvolvimento de atividades que tenham por objetivo resolver problemas apresentados pela sociedade.